What’s News

  • Português
  • English
  • Postado em 23 de janeiro, 2012


    INTERNACIONAL

    A Alemanha rejeitou demandas de aumento do planejado fundo de resgate da zona do euro. Autoridades de outros países europeus têm sugerido que o fundo, a ser lançado em julho com 500 bilhões de euros, seja mais gordo ? fala-se em até 1 bilhão de euros-, para conter o contágio de uma possível moratória da Grécia. O ministro da Fazenda alemão Wolfgang Schaeuble disse ontem na TV que seu país não aceita aumentar o fundo.

    A Grécia e seus credores privados chegaram a um impasse na negociação da redução da dívida do país, no sábado. Um acordo que daria aos credores novos títulos de dívida com juros entre 3,5% e 4,6% teria sido rejeitado pelo FMI e a Alemanha, que querem juros menores. A renegociação da dívida grega deve estar no topo da pauta de um encontro de ministros da Fazenda europeus hoje em Bruxelas.

    A EMA, agência reguladora de remédios da Europa, anunciou na sexta-feira que vai rever os riscos e benefícios do Gilenya, um medicamento contra esclerose múltipla fabricado pela suíça Novartis, devido a problemas cardíacos observados em pacientes que tomaram a droga.

    A Coreia do Sul acabou com um embargo de quase nove anos à carne bovina do Canadá, aumentando as esperanças do governo canadense de progredir nas emperradas negociações de livre comércio com o país asiático.

    A Schlumberger, empresa franco-americana de serviços petrolíferos, anunciou sexta-feira um aumento de 36% no lucro do quarto trimestre em relação a um ano antes, para US$ 1,4 bilhão. Ela atribuiu o resultado, em parte, a uma forte atividade em águas profundas no Golfo do México e na América Latina, bem como a um aumento da produção de petróleo nos EUA.

    A Volkswagen, montadora alemã, está considerando comprar, antes do prazo previsto, os 50,1% de participação que ainda lhe faltam na também alemã Porsche, fabricante de modelos de luxo, disseram pessoas a par da situação. O objetivo é acelerar a integração das duas empresas.

    A Sony e a Panasonic, fabricantes de eletrônicos japonesas, tiveram na sexta-feira suas notas de crédito rebaixadas pela Moody´s. A agência de classificação de crédito citou a frágil posição financeira e a provável baixa lucratividade futura das empresas, que estão sofrendo com o iene forte e a concorrência das rivais coreanas Samsung e a LG.

    A Olympus, fabricante japonesa de produtos fotográficos, poderá continuar listada na bolsa de Tóquio, afirmou esta última na sexta-feira. A Olympus, que está às voltas com um escândalo financeiro, receberá apenas uma multa de US$ 130.000 e será incluída na lista de três anos de ações ?sob alerta? da bolsa por governança inadequada.

    REGIONAL

    O Itaú Unibanco deve captar mais no mercado internacional de dívida em 2012, disse seu diretor financeiro Marcelo Rosenhek, acrescentando que o maior banco privado do Brasil talvez venha a usar moedas estrangeiras diferentes do dólar.

    O Equador espera investir cerca de US$ 7,5 bilhões nos setores de petróleo e mineração nos próximos 5 anos, disse na sexta o ministro de recursos naturais não-renováveis, Wilson Pastor.

    A Chevron, petrolífera americana, está tentando na suprema corte do Equador a revogação da sentença que a obriga a pagar uma indenização de US$ 18 bilhões por danos ambientais na Amazônia. A empresa alega que houve corrupção no processo.

    A Iusacell, companhia de telefonia celular mexicana, informou que vai processar o presidente da comissão antitrust do país, Eduardo Motta, sob a alegação de que ele se posicionou publicamente contra a proposta de parceria da empresa com a Televisa. A Iusacell também está tentando impedir Motta de participar da votação da proposta.

    A Argentina deve anunciar um superávit comercial de US$ 700 milhões em dezembro, segundo a previsão média de cinco economistas sondados pela agência Dow Jones.

    A Colombia anunciou sexta-feira um superávit comercial de US$ 71,1 bilhão em novembro, comparado com um déficit de US$ 161,1 bilhão um ano antes.

    Valor Econômico/AC