‘Voltamos à área vip da economia mundial’

  • Português
  • English
  • Postado em 19 de janeiro, 2012


    ENTREVISTA EDUARDO PAES, Prefeito do Rio de Janeiro

    O prefeito Eduardo Paes destaca o retorno dos grandes investidores e o empréstimo do BID que permitiu ao Rio abater sua dívida com a União

    No ano em que vai disputar a reeleição por uma ampla coligação partidária, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) quer deixar seu nome na história como por dois feitos: a revitalização da área portuária e a herança deixada pelas obras para as Olimpíadas de 2016, principalmente na área de transporte urbano. Em entrevista ao BRASIL ECONÔMICO, o prefeito destaca o excelente momento financeira da cidade.

    Como o sr. avalia o momento atual do Rio de Janeiro?

    O Rio respira uma economia dinâmica e criativa, baseada em serviços cada vez mais diferenciados, como turismo, cultura e produção de conhecimento. Estamos de volta à área VIP da economia mundial, originando parte significativa da riqueza que é produzida pelo país.

    Do ponto de vista financeiro, quais são as boas notícias?

    Os grandes investidores estão de volta. Importantes agências de classificação de risco atribuíram à cidade grau máximo de confiança, em um claro reconhecimento à prudência com que nós tratamos nossas políticas fiscais. A Moody’s divulgou mês passado o rating da cidade, elevando a nota global do município. Uma semana antes a agência Fitch concedeu-nos investment grade. É muito importante que a cidade tenha conquistado excelentes notas de crédito em tempos de crise financeira global. Isso confirma a qualidade da nossa administração financeira. Definitivamente, o Rio é o melhor lugar para se investir.

    E quais as consequências para a cidade?

    Essa performance permitiu à cidade aumentar sua capacidade de investir em infraestrutura de forma continuada. A prudência nos gastos e a sustentabilidade da dívida, favorecida pelo empréstimo do Banco Mundial (Bird), são sem dúvida fatores de melhora da nota.

    De que forma o empréstimo ajudou o Rio?

    O empréstimo de US$ 1,045 bilhão foi utilizado para amortizar a dívida da Prefeitura com a União – reduzindo os juros de 9% para 6%. A operação permitiu a liberação de R$ 400 milhões anuais do Tesouro do Rio para serem aplicados em novos investimentos.O valor é o maior já concedido pelo Bird a uma cidade em todo o mundo.

    Caiu a previsão de despesas com investimentos para 2012?

    Sim. Para esse ano, a previsão de despesas com investimento é de R$ 3,41 bilhões, enquanto, em 2009, o valor foi de R$ 311 milhões. Um crescimento de quase 1.000%. A capacidade de investimento da Prefeitura do Rio triplicou no período, passando de 6,2% do orçamento em 2009, para 16,6%. O valor total do Orçamento também cresce a cada ano. Em 2009, era de R$ 12,6 bilhões; em 2010, R$ 13,6 bilhões; e,em 2011, R$ 18,86 bilhões.Com o total de receitas e despesas em 2012 estimado para R$ 20,503 bilhões – um salto de 61,5% em relação ao orçamento por mim encontrado em 2009.

    Brasil Econômico/AC



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter