Tem ministro demais Petrobras Dilma e o Enem A delegada Desisto da orla Alta velocidade Três datas IPTU e Nota Carioca Estacionamento Ilha de abandono Pane no metrô A Perimetral ANS responde

  • Português
  • English
  • Postado em 25 de janeiro, 2012


    Tem ministro demais

    A foto da reunião ministerial mostrada na coluna do Ancelmo (24/01) é emblematicamente constrangedora e deprimente. Um ministério com tanta gente, além de ridículo, aumenta exponencialmente o risco de pilantragens, explica a infindável sucessão de escândalos de corrupção que continua minando do Executivo e mostra para onde vai boa parte dos impostos absurdos que pagamos. Esse ministério paquidérmico é grotesco, para dizer o mínimo. Há gente ali, como o sr. Moreira Franco (aquela cabeça branca à esquerda, antepenúltimo da fila, que não teve uma audiência sequer com a presidente em todo 2011), que, certamente, precisou de binóculo para enxergar Dilma Rousseff.

    VASCO SOARES DA COSTA

    Niterói, RJ

    Dizem que a primeira reunião da presidente Dilma Rousseff com o ministério herdado do governo Lula só não foi perfeita porque os ministros estavam sem crachá de identificação, o que dificultou seu reconhecimento pela presidente.

    REGINA PASSARELLI

    Rio

    A fotografia da recente reunião ministerial da presidente Dilma com os seus ministros é, por si só, esclarecedora. Uma infinidade de ministérios com atribuições superpostas, e nem sempre muito bem definidas, sobrecarregando o indefeso contribuinte. Tudo para acomodar parceiros e alojar centenas de parasitas políticos. Claro, com os ministros vêm os secretários, assessores, conselheiros, etc. Fica evidente por que não sobra dinheiro para assuntos mais importantes.

    LUCIANO HARDMAN BEZERRA

    Rio

    Petrobras

    Parece que a nova presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, é uma pessoa preparada para o cargo. A dúvida é: será que terá idoneidade suficiente para fazer uma faxina retrógrada na Petrobras, já que a empresa de seu marido fez contratos sem licitação com a estatal? Existiram sérias denúncias de irregularidades sob a batuta de José Sérgio Gabrielli e a CPI da Petrobras foi devidamente barrada no Congresso pela tropa de choque do então presidente Lula. Com certeza, muitos tiraram suas “casquinhas” na empresa. Pena que o governo Dilma Rousseff tenha visto apenas agora o que o mercado já viu há tempos, pois as ações tiveram queda vertiginosa na bolsa e quem mais perdeu foram aqueles que acreditaram no milagre do pré-sal e investiram nelas seu rico FGTS.

    BEATRIZ CAMPOS

    São Paulo, SP

    Em novembro de 2011, saiu na mídia que a empresa do marido de Maria das Graças Foster, a C. Foster (propriedade de Colin Vaughan Foster), assinara, nos últimos três anos, 42 contratos (20 sem licitação) com a Petrobras para fornecer componentes eletrônicos para áreas de tecnologia, exploração e produção a várias unidades da estatal. Maria das Graças era diretora de Gás e Energia da Petrobras. Portanto, não tenho medo de afirmar que a presidente Dilma trocou seis por meia dúzia ou muito pior ainda, talvez. Pois se Maria das Graças já chega com este tipo de lastro no seu currículo, resta perguntar: quantos contratos serão fechados com a empresa de seu marido daqui para frente? Que reforma Dilma está fazendo?

    MARA MONTEZUMA ASSAF

    São Paulo, SP

    Espero que a nova diretora da Petrobras dê um pulinho em Vitória para conhecer a suntuosa sede da empresa. Localizada no ponto mais caro da cidade, ao custo de meio bilhão de reais, ostenta luxo oriental com equipamentos importados dos melhores mercados. Caso o petróleo não dê mais certo poderá, com um investimento mínimo, ser convertida em hotel 6 estrelas. O mais interessante é que, segundo a internet, seu terreno é arrendado!

    ANTÔNIO CARLOS VIANNA BRAGA

    Vitória, ES

    Dilma e o Enem

    A presidente afirma que o Enem é a forma mais democrática de ingressar na universidade. Pode ser que sim, mas não é com a má qualidade das correções que isto irá acontecer. O Brasil precisa mesmo é de um programa eficiente de Educação desde o ensino fundamental incluindo a formação de professores. Do jeito que está nem os estudantes que a vida inteira estudaram em colégios de excelência estão conseguindo chegar à faculdade. Nenhuma grande nação nivela seu processo educacional por baixo.

    CLÁUDIA LÚCIA DE SOUZA ALVES

    Rio

    A delegada

    O secretário de Segurança Pública tem ótima oportunidade de fazer valer sua preocupação com a qualidade e prestabilidade da Segurança no estado. Beltrame deveria, no mínimo, afastar a delegada Daniela Rebelo, bem como pressionar por uma efetiva investigação na 16ª DP, onde ela já atuou, a fim de evitar o corporativismo que vem surgindo nessa história estapafúrdia de 104 pontos na carteira e R$7 mil de IPVA em atraso. A intervenção do Sindicato dos Delegados, na verdade, mostra a cinzenta crise existente entre as polícias Civil e Militar. Que uniformizem o procedimento da Lei Seca, ainda alvo de diversos questionamentos!

    MARCELO FERREIRA MACHADO

    Rio

    A delegada Daniela Rebelo engrossou a estatística da famigerada “carteirada” com a célebre frase “Sabe com quem está falando?” depois de flagrada, tentando fugir de blitz da Lei Seca. Com carteira de motorista vencida, IPVA do carro atrasado, recusa-se a fazer o teste do bafômetro, briga com um policial em serviço e ainda se diz vítima. Logicamente que, apesar de tudo, isso não vai dar em nada, pois o corporativismo está acima da lei e da ordem. É lamentável que uma representante da lei não saiba respeitá-la contando, certamente, com a impunidade. Não vou me admirar muito se o tenente Carnevale acabar pagando o pato.

    ORLANDI DE FREITAS

    Rio

    Desisto da orla

    O passeio domingueiro na orla marítima da cidade está sendo gradativamente “roubado” por ciclistas, skatistas, triciclistas transportando mercadorias e até motociclistas. O espaço destinado a agradáveis caminhadas, por culpa da insanidade de malfeitores, especialmente da classe média, transformou-se em perigoso exercício, com risco de quedas e trombadas. Não obstante as reclamações que leio nos jornais, ninguém aparece para defender os que pacatamente desejam apenas desfrutar da pista supostamente destinada a pedestres. De minha parte, não mais por lá aparecerei. Que os bárbaros se aproveitem.

    WALDEMIR MESSIAS DE ARAUJO

    Rio

    Alta velocidade

    Em complemento à carta de Nelson Cardoso Osório Neto (21/01), com a qual concordo plenamente, tenho a acrescentar que os ônibus, às vezes, passam em alta velocidade pela segunda pista, ignorando os passageiros que estão no ponto correto. Além disso, alguns motoristas e cobradores estão usando aparelhos de som em alto volume ignorando a placa de proibição de aparelhos sonoros afixada no painel frontal do ônibus, o que nos deixa estressados ao ir para o trabalho. Pego ônibus diariamente, por volta de 7h50m, na Av. N. Sra. de Copacabana em direção ao Centro.

    REGINA LÚCIA DE ALMEIDA ROLLEMBERG

    Rio

    Três datas

    Comprei meu carro via leasing, que acabei de pagar em 2008. Fiz a transferência de propriedade em junho daquele ano. Os CRLVs até o ano passado saíram em meu nome. Agora, ao emitir o GRV, sai que sou “arrendatário” e o banco o “proprietário”. Hoje, a Secretaria de Fazenda informa que o único local onde os problemas poderão ser resolvidos é o posto da Rua Visconde do Rio Branco 22. Além disso, a data para pagamento aparece num site sendo 19 de janeiro; em outro, 24 de janeiro e em um terceiro, 14 de março. É uma vergonha?

    JULIO A. HERNÁNDEZ

    Rio

    IPTU e Nota Carioca

    Cadastrei-me e solicitei a Nota Carioca dos prestadores de serviços em 2011, conforme orientação da Prefeitura do Rio. Ocorre que não houve desconto em meu IPTU/2012 e não consegui uma justificativa através dos telefones indicados para informação. Além de os valores do desconto serem muito pouco atraentes para o consumidor, o carnê me foi enviado sem qualquer alteração.

    LÚCIA RIBEIRO

    Rio

    Estacionamento

    A Prefeitura de Cabo Frio expulsou os flanelinhas da Praia das Conchas que usavam uma área de preservação ambiental para cobrar estacionamento ao preço de R$5. Hoje, a Prefeitura, através de uma empresa privada, cobra R$10 e utiliza a mesma área como estacionamento. Engraçado…

    JOÃO JOSÉ HESPANHOL

    Cabo Frio, RJ

    Ilha de abandono

    Nós, moradores da Ilha de Guaratiba, estamos esquecidos pelas autoridades. Os serviços de telefonia móvel e fixa são quase inoperantes. O desvio do trânsito da Av. das Américas para o interior da ilha, devido às obras do BRT, está causando um transtorno “infernal” a todos nós. A ilha não tem condições de receber um trânsito tão intenso e a Estrada da Ilha já está cheia de buracos, não tem acostamento e ciclovia. Em se tratando de uma área basicamente rural, temos muitos ciclistas e pedestres e vários casos de atropelamento com morte e/ou lesões graves. Estamos necessitando com urgência de choque de ordem.

    CARLOS ROBERTO BASTOS BRANDÃO

    Rio

    Pane no metrô

    A pane ocorrida ontem (23/01) no sistema operacional do metrô, que fechou estações e paralisou trens por mais de meia hora, apenas comprova a necessidade de se construir uma linha independente para a Barra da Tijuca. A linha única com ligações em Y, proposta pelo governo do estado, implica em alto risco de acidentes e torna o sistema todo refém de problemas como esse. É triste constatar que, mesmo contra tantas evidências, o governo continue a defender um projeto absurdo e use como solução mágica a compra dos novos trens; não adianta aumentar o número de composições, é preciso diversificar a rede.

    HELOISA ARRUDA

    Rio

    A Perimetral

    Gostaria de sugerir ao prefeito Eduardo Paes um momento de reflexão em sua atual cruzada pessoal pela derrubada do Viaduto da Perimetral. Feche aquela via ao trânsito por um período de experiência de 15 dias e acione o seu sistema de trânsito alternativo para aquela área de tráfego pesadíssimo. Em seguida, faça uma análise prática das consequências. Isto exige uma humildade pouco conhecida na administração pública. Aquele viaduto, inaugurado em 1978, está em mau estado simplesmente porque a prefeitura o abandonou junto com vários outros logradouros e áreas pouco visíveis da cidade. Como carioca pesadamente tributado, não posso concordar com megalomanias pessoais alimentadas com dinheiro público. Infelizmente, no Rio de Janeiro sempre foi desta forma: foco em coisas para lá de discutíveis e o resto é deixado de lado.

    JOSÉ EDUARDO SILVEIRA

    Rio

    Está mais do que na hora de fazer o movimento “Diga não à demolição da Perimetral!” Que OAB, Crea, Instituto dos Arquitetos, Clube de Engenharia, Ministério Público e todos nós, cidadãos fluminenses, exijamos respeito ao dinheiro público. Nos anos 50, os urbanistas e o Clube de Engenharia, através dos jornais e de conferências, se pronunciaram contra a Perimetral em especial na Praça Quinze, sítio histórico a ser preservado. O Poder Público foi mais forte e o monstrengo, construído. Onde estão as ideias de engenheiros e arquitetos para dar um banho de charme na Perimetral? Quantas casas poderão ser construídas na área portuária com os bilhões que serão gastos na demolição do viaduto e construção do tal mergulhão? Vamos unir forças e combater o bom combate. Ainda há tempo.

    HELOISA M. DE SABOYA RIBEIRO

    Rio

    Prefeito, já pensou se o mesmo critério alegado para a derrubada do Elevado da Perimetral – de que enfeia a paisagem da cidade – fosse aplicado a outras vias? Faz ideia do que seria o trânsito se fossem colocados abaixo o Elevado Paulo de Frontin, a Linha Vermelha sobre as ruas Figueira de Melo e Bela, e o Viaduto Pedro Álvares Cabral, em Botafogo? Até parece que não temos praças, hospitais, escolas, viadutos, ruas etc. precisando de conservação/manutenção preventiva. A propósito, e pelo mesmo critério acima, o senhor poderia mandar remover a instalação da Guarda Municipal na Av. das Américas, junto ao Bosque da Barra. Coisa de tremendo mau gosto.

    CELSO PAIVA FARIA

    Rio

    Se Eduardo Paes tivesse dito durante a campanha para prefeito “votem em mim que eu prometo derrubar a Perimetral”, hoje, com certeza, estaria navegando em outras águas. Espero que ele não tenha agora a ideia de derrubar o Pão de Açúcar ou de asfaltar a Baía de Guanabara.

    ROMILSON LUIZ

    Niterói, RJ

    O caos só está começando! Quem esteve nas ruas do Rio na segunda feira, 23 de janeiro, sabe do que estou falando. E o impacto ambiental de milhares de motores ligados durante um engarrafamento? Ninguém fala? E ainda vão demolir a Perimetral? Em que mundo estão os governantes? Ah! Esqueci… estes andam de helicóptero e costumam viajar mais do que governam. Não vivem o nosso dia a dia. O povo que se dane.

    MARCELO SALDANHA

    Rio

    ANS responde

    A leitora Izabel Avallone, em carta intitulada “Saúde no Brasil” (24/01), cita a fiscalização de hospitais e convênios pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A ANS esclarece, no entanto, que a fiscalização de hospitais não é uma atribuição legal da agência, ou seja, a ANS não tem prerrogativa para fiscalizar hospitais, mas sim para criar normas e fiscalizar o setor de planos de saúde no Brasil. Para isso, a Agência dispõe de núcleos em todas as regiões do país que realizam fiscalização ativa, bem como uma central de atendimento (0800-701-9656) e uma central de relacionamento (www.ans.gov.br) que atendem gratuitamente as denúncias e outras demandas da população relacionadas aos planos de saúde. Neste site também podem ser obtidas mais informações sobre a atuação da ANS e o setor de planos de saúde.

    OLENKA LASEVITCH

    Gerente de Comunicação Social

    O Globo/AC



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter