RIO DE JANEIRO SE FIRMA COMO POLO FORMADOR DE TALENTOS

  • Português
  • English
  • Postado em 25 de março, 2015



    A oferta de talentos é fundamental na atração de investimentos e construção do futuro de uma cidade. Por conta disso, a Educação, considerada uma “vocação econômica” da cidade, é foco de trabalho da Rio Negócios, agência de promoção do Rio de Janeiro.

     A vocação na formação de talentos tem explicação histórica. Devido ao passado como capital do país, o Rio de Janeiro sempre reuniu o maior número de instituições de ensino superior no Brasil. Mesmo após a mudança de status, o Rio manteve a tradição e continua sendo um grande polo formador de talentos. Na área de tecnologia, por exemplo, possui a maior oferta de cursos e as maiores notas do MEC e do CAPES (graduação e pós-graduação), superando qualquer outra cidade do país.

     O trabalho da Rio Negócios na área da Educação tem rendido frutos em  forma de parcerias com universidades internacionais. “Nossa intenção é proporcionar a transferência de conhecimento e criar profissionais capazes de melhorar o ambiente à sua volta”, afirma Marcelo Haddad, presidente da Rio Negócios.

     Um bom exemplo de como a população se beneficia com o “investimento” na área de Educação foi a parceria entre a Prefeitura do Rio e a Columbia University. Atraída pela Rio Negócios, a Columbia University implantou no Rio o Columbia Global Center, que completa dois anos de atividade em março de 2015.

     Como resultado prático, formandos do Rio Mayor’s Executive Education Training Project – que dá treinamento avançado para gerentes do programa Líderes Cariocas – apontaram, em seus trabalhos finais, soluções e aperfeiçoamento em projetos da prefeitura do Rio de Janeiro.

     No campo de Big Data, três projetos da administração municipal foram foco dos trabalhos: a otimização do cruzamento de bases de dados no combate à dengue e outras doenças transmitidas por mosquitos; a coordenação de transportes do município; e a criação de uma métrica de avaliação de impacto do desenvolvimento da área sobre o desempenho escolar dos alunos de uma escola municipal.

     Em infraestrutura verde, o foco do trabalho foi a recuperação e desenvolvimento de áreas vulneráveis a alagamentos no Recreio dos Bandeirantes.

    Além disso, um quinto trabalho trata sobre a recuperação de áreas localizadas sob viadutos da cidade, inspirado no projeto NY Highline, de Nova Iorque, que fez uso de estruturas abandonadas de metrô elevado para a criação de um jardim comunitário.

     

     Hub de tecnologia também é prioridade

     Outro exemplo de investimento na Educação foi a formação e o fortalecimento do hub de tecnologia na cidade. O resultado disso é o Parque Tecnológico da Ilha do Fundão. Com US$ 1,6 bilhão investido, o Parque reúne 12 mil engenheiros e 1.947 pesquisadores, sendo 124 com deles com PhD em áreas tecnológicas e 213 com doutorado ou mestrado. A previsão é que o número de especialistas chegue a três mil em 2017.

     Dentro deste empreendimento, o destaque fica para o Centro de Pesquisas Global da GE, um investimento de US$ 500 milhões. Primeira unidade na América Latina, o Centro abrigará progressivamente 400 pesquisadores até 2020, com o objetivo de desenvolver soluções para impulsionar o setor de exploração e produção de petróleo e gás offshore.