Rio de Janeiro deve receber R$ 1 bilhão a mais de turismo em 2015

  • Português
  • English
  • Postado em 9 de março, 2015


    Um estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas-RJ estimou que o Rio de Janeiro deve receber R$ 1,17 milhão a mais de receita de turismo por conta de viagens de lazer de outros brasileiros com o número de feriados próximos a fins de semana em 2015.

    Em nível nacional, os feriados prolongados representarão um reforço de R$ 18,66 bilhões em turismo interno, com acréscimo de 10,9 milhões de viagens. Serão seis feriados – Tiradentes, Dia do Trabalho, Corpus Christi, Dia da Independência, Dia de Nossa Senhora de Aparecida e Finados – que acrescentarão 20 dias ao calendário de viagens internas em 2015. Os números não são comparáveis a 2014 devido a distorções causadas pela Copa do Mundo, mas, mesmo assim, o ministério prevê expansão do setor neste ano.

    De acordo com a pesquisa, o gasto médio dos turistas no estado do Rio é de R$ 1.319.09 por viagem, acima da média de São Paulo, de R$ 1.101,80, mas abaixo de estados como Rio Grande do Sul e Bahia. Segundo Salles Lopes, isso se deve porque o deslocamento do turista brasileiro para essas localidades costuma ser mais distante, uma vez que mais da metade dos viajantes do país partem da região Sudeste – o que favorece viagens de carro para Rio e São Paulo, por exemplo. As viagens domésticas representam 85% do valor total gasto em turismo no país.

    A situação do câmbio atualmente, com o dólar rondando os R$ 3, também deve dar mais impulso para o turismo interno na preferência dos brasileiros, em relação a viagens ao exterior, na visão do ministro do Turismo, Vinicius Lages. “O turismo é um setor que contribui para a economia porque gera inclusão produtiva, renda e trabalho para os brasileiros. Mas também porque é um setor que compra muito da indústria: desde roupas de cama e alimentos a automóveis e aviões. Em um ano com diversos feriados prolongados, combinado com câmbio favorável às viagens domésticas, o turismo irá manter taxas de crescimento de dois dígitos em alguns segmentos e contribuir para o desenvolvimento econômico do Brasil”, disse Lages.

    Fonte: O Globo



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter