Pesquisa reivindica recursos do pré-sal

  • Português
  • English
  • Postado em 26 de janeiro, 2012


    Apesar do avanço do Brasil em matéria de tecnologia, especialistas acreditam que o país poderia crescer muito mais se determinadas políticas de incentivo fossem adotadas. A presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, está liderando um movimento para que seja aprovada uma lei que garanta o repasse de recursos do petróleo, extraído da camada do pré-sal, para as áreas de educação, ciência, tecnologia e inovação.

    “Esses recursos do pré-sal são recursos que surgiram inesperadamente e só foram descobertos graças à ciência. As reservas de petróleo são finitas. Se começarmos a investir desde hoje vamos ter um avanço no país que garantirá recursos para quando o petróleo acabar. Não estamos pedindo dinheiro para nós, mas sim para o país”, afirma Helena.

    A SBPC promete mobilizar a sociedade e o Congresso Nacional nos próximos meses. “Temos muitos deputados parceiros que entendem que investir em ciência e tecnologia é garantir a inovação e crescimento do país”, diz Helena. Uma petição, assinada pela SBPC e pela Academia Brasileira de Ciências (ABC), já está nas mãos de deputados, que vão se reunir com os cientistas a partir do mês que vem. No documento, as instituições se queixam da aprovação do artigo 49 da Lei nº 12.351/2010 que causa perdas de R$ 1,3 bilhão/ano na principal fonte de financiamento de pesquisa na área de petróleo e gás natural: o fundo setorial CT-Petro. Segundo a SBPC, o impacto da lei provocará uma redução de 72% nas receitas do fundo. D.O.

    —-

    A SBPC lidera um movimento para que seja aprovada uma lei que garanta o repasse de recursos do petróleo, extraído do pré-sal, para as áreas de educação, ciência, tecnologia e inovação

    Brasil Econômico/AC



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter