Investidores brasileiros irão a Israel em busca de inovação

  • Português
  • English
  • Postado em 21 de maio, 2015


    O desenvolvimento de empresas é essencial para posicionar o Brasil como ambiente propício para a inovação e, nesse aspecto, o capital empreendedor, os investidores anjo e os fundos de investimento têm papel de destaque. Com o objetivo de estabelecer um relacionamento com investidores e empresas da região, além de aprender sobre a cultura de um dos ecossistemas mais inovadores da atualidade, uma missão para Israel foi organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Anjos do Brasil, a Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP) e a Missão Econômica de Israel, em parceria com Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), administrador do Fundo Multilateral de Investimentos (FUMIN).

    “Os Estados Unidos e o Reino Unido são os alvos prioritários para buscarmos recursos para investimentos no país. No entanto, precisamos diversificar o risco dos gestores brasileiros em processo de fundraising, pois eles acabam ficando muito expostos às oscilações desses mercados. Por isso estamos iniciando, com esta missão, o processo de abertura em direção a demais países com ecossistema de investimentos em participação mais amadurecidos”, explica o presidente da Apex-Brasil, David Barioni Neto.

    Segundo levantamentos estatísticos da Emerging Markets Private Equity Association (EMPEA), cerca de 1,7% do PIB de Israel está em fundos de investimento. “Israel é um mercado relativamente pequeno com uma posição geográfica não muito favorável. Para os nossos gestores é importante entender como empresas se desenvolvem, se capitalizam e fazem suas saídas. Para entender o processo é necessário entender a participação de cada player desde as aceleradoras, startups e firmas de venture capital. Através desse contato esperamos não somente entender melhor sobre o ecossistema como também conhecer os principais agentes nesse cenário e incentivar investimentos e parcerias entre os países”, relata Fernando Borges, presidente da ABVCAP.