Infraestrutura é a bola da vez

  • Português
  • English
  • Postado em 16 de janeiro, 2012


    Daniela Paiva

    Cuidar da infraestrutura é a missão de Nizan Guanaes, presidente do grupo ABC, em 2012. E isso inclui os alicerces da agência, do grupo e até do próprio físico. Em entrevista ao BRASIL ECONÔMICO, ele arquiteta o plano para o futuro sem mostrar muito sua maquete. Diz que os pilares estão sendo montados para projetos grandiosos que virão com a Copa do Mundo e as Olimpíadas no país.

    A visão de negócios de Nizan continua a sobrevoar o globo terrestre e carregar o Brasil na bagagem. Uma conversa que não é de hoje e o publicitário faz questão de lembrar desde que a Agência Africa, fundada por ele em 2002, abriu escritório em Nova York há dois anos. A unidade foi responsável pela primeira campanha internacional do banco Itaú.

    “Nosso grande foco é o Brasil”, repete Nizan como se fosse um mantra a ser disseminado pela porção do país que ainda não está atenta à própria infraestrutura.

    “Nosso escritório é para acompanhar marcas brasileiras que precisam se expandir no exterior”.

    Novas contas? Nizan desconversa.

    Novas aquisições para o ABC, o grande premiado do Caboré em 2011 e que investiu na associação com a Morya Brasil? Só se for do jeito dele: “O grupo tem crescido de maneira consistente e com qualidade reconhecida pelo mercado”, analisa.

    “Temos passos claros, um plano anual, um de cinco anos. Se você não tem estratégia num mundo como esse, vai ficar com megalomania, surtos”.

    É aí que entra o cuidado com o corpo. Ele já começou a trabalhar às 6h30 na primeira semana do novo ano. “Para aguentar o ritmo, só fazendo uma coisa que nunca fiz: muita ginástica”, brinca. “Estou cuidando da minha infraestrutura para que não dê apagão”.

    Brasil Econômico/AC



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter