Iluminação pública como base para cidades inteligentes

  • Português
  • English
  • Postado em 1 de junho, 2016


    Foto Rodrigo Martins

    Em 2015, a Prefeitura do Rio de Janeiro investiu R$ 63 milhões na modernização de 15 mil pontos de luz, substituindo lâmpadas a vapor de sódio por luminárias de LED, parte do legado olímpico. Essa nova tecnologia de iluminação pública permitirá a integração da rede com outros sistemas de monitoramento urbano, otimizando controle de tráfego e atendimento a emergências.

    Na Casa Rio, maior programa de desenvolvimento de negócios do país, o tema foi destaque no evento de Infraestrutura. Rodrigo Martins, presidente e CEO para a América Latina da Current, powered by GE, a nova startup de energia da multinacional americana, foi um dos participantes do painel que tratou das oportunidades de investimento em infraestrutura pós-Jogos Rio 2016 com foco em saneamento, iluminação e mobilidade.

    De acordo com Martins, na próxima década, aproximadamente 60% da população mundial viverá em centros urbanos e adotar medidas inteligentes é essencial para o gerenciamento dessa evolução. A utilização de luminárias LED com sensores e softwares oferece a oportunidade única de reunir e analisar dados.

    “Estamos entrando em uma nova era, na qual as luzes mais do que iluminam. Elas são vistas como parte estratégica para o desenvolvimento da infraestrutura das cidades e são essenciais para tornar o ambiente mais conectado, plural e dinâmico. Quando combinamos o LED com sensores e softwares, os pontos de luz transformam-se em fonte de informação e geram resultados positivos tanto para cidade quanto para seus moradores”, explica Martins.

    Inovação em iluminação pública também oferece economia de energia

    A conversão dos pontos de luz no Rio de Janeiro irá gerar uma redução de consumo de energia de 50% para a cidade, além de oferecer uma capacidade maior de vida útil e descarte mais sustentável, por não conter mercúrio. “Se o exemplo do Rio for expandido para o resto do país e substituirmos todos os pontos iluminação das vias pública por LED, seria possível economizar o equivalente a um terço da produção de Itaipu”, disse Martins.



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter