Home Broker

  • Português
  • English
  • Postado em 26 de janeiro, 2012


    Gafisa ainda longe de tendência de alta

    Após um ano pesado para as ações do setor de construção civil, boa parte das construtoras e incorporadoras deram sinais de recuperação já no início de 2012, enquanto os papéis da Gafisa (GFSA3) acumulavam perdas. O pessimismo do mercado em relação às ações da empresa é resultado dos problemas com a compra da Tenda. “A Gafisa vem de uma tendência de baixa mais longa e nas últimas semanas montou congestão num movimento lateral”, afirma o analista técnico Leandro Ruschel, sócio da Leandro & Stormer, que adianta rumores de que o mercado aguarda a venda da Gafisa. “Ficou claro que a compra da Tenda foi uma operação desastrosa e o papel só não perde mais valor porque o que hoje se discute no mercado é quem vai comprar a Gafisa”.

    Ontem, o ativo, que chegou a recuar 8,5% em novembro por resultados negativos no terceiro trimestre, tomou fôlego e avançou 4,71%, para R$ 4,45. “O papel está seguindo a movimentação positiva no setor, mas não se enquadrou em uma tendência de alta.” De acordo com Ruschel, o suporte do papel (patamar que, se perdido, aponta para uma chance de queda em sequência) está em R$ 4,10 e a resistência (ponto que, se superado, indica a possibilidade de continuidade de movimento de alta da ação) é de R$ 4,70. “Há uma chance do papel buscar os R$ 4,70, mas não há reversão clara. Para o longo prazo a tendência é de baixa. No curtíssimo prazo é possível que tente R$ 4,70.” Weruska Goeking

    Randon

    Planner aprova projeções de 2012 e recomenda ação

    A Randon anunciou que pretende atingir receita bruta de R$ 6,1 bilhões neste ano, com receita líquida de R$ 4,2 bilhões. De acordo com análise da Planner Corretora, os números divulgados pela companhia vieram em linha com as expectativas. “Com os números apresentados construímos alguns cenários para a empresa e chegamos à conclusão que mesmo em cenários mais conservadores, as ações estão precificadas com desconto”, afirma o analista da corretora, Ricardo Tadeu Martins. “Assim, seguimos confortáveis com nossa recomendação de compra para as ações RAPT4, com preço alvo de R$ 14,70″, continua Martins em relatório.

    O analista ressalta que, para 2012, não espera grandes incrementos na receita líquida da empresa, como já apontado pelo guidance divulgado. “No entanto, esperamos melhorias nos níveis de margens que em 2011 foram afetados por aumentos de custos e despesas”, pondera, completando que a companhia opera com baixíssimo nível de endividamento.

    Brasil Econômico/AC