Home broker

  • Português
  • English
  • Postado em 24 de janeiro, 2012


    Cyrela caminha para tendência de baixa

    Depois de testar o patamar dos R$ 16 em dezembro de 2011 e neste mês, os papéis da Cyrela (CYRE3) demonstram que podem entrar em tendência de queda. Segundo o analista da Citi Corretora, Rafael Ribeiro, os ativos demonstram, no gráfico, uma “sinalização de topo”, que é quando o papel não consegue ultrapassar um patamar e entra em tendência de queda. Ontem, ao encerrar o pregão cotada a R$ 15,90, a ação formou uma figura de reversão, chamada pelo analista de “candlestick de reversão”. “Ponto que o papel não ultrapassa em fechamento desde dezembro do ano passado”, relembra Ribeiro. Ele acrescenta que, por conta do patamar representar uma forte barreira, cresce a expectativa do papel iniciar um processo de correção (queda) nos próximos dias. Por conta disso, ele recomenda a venda das ações. “Abaixo de R$ 15,90 (ponto de entrada da venda), a ação confirma o cenário de retração e abre caminho para buscar o suporte de R$ 15,15″ completa o analista. Ainda segundo o especialista, caso este preço seja perdido, fica a expectativa pelo teste de um novo suporte (patamar que, se perdido, aponta para chance de queda em sequência), em R$ 14,70. Ribeiro pondera que para anular este cenário de realização, o papel precisaria romper a resistência (ponto que, se superado, indica a possibilidade de continuidade de movimento de alta) de R$ 16,72, que seria o stop loss da operação de venda. O papel terminou a sessão de ontem com retração de R$ 1,85%.

    ——-

    MRV

    Resultados terão impacto positivo sobre ações

    Os analistas da Concórdia Corretora Leonardo Zanfelicio e Karina Freitas avaliam que os resultados divulgados pela MRV, nesta semana, referentes ao quarto trimestre de 2011, poderão ter impacto positivo sobre as ações da companhia. Em relatório, os analistas destacam que além da MRV ter atingido o piso das projeções de vendas contratadas em 2011, dado o bom desempenho no quarto trimestre – o melhor da história da empresa – ela voltou a registrar evolução do indicador de velocidade de vendas (VSO), que superou a média do mercado. “Também gostamos das projeções para 2012, indicando crescimento para as vendas e estabilidade nas margens operacionais para este ano”, reiteram os analistas. “Continuamos recomendando os papéis da companhia, ao lado da PDG, para aqueles que quiserem ficar expostos ao setor da construção civil”, completam. Apesar da avaliação positiva, as ações ordinárias da MRV lideraram as baixas na sessão de ontem, com retração de 2,96%, a R$ 13,45.

    ———–

    DIVIDENDOS

    Grupo Alfa anuncia pagamento aos seus investidores

    O Conselho de Administração da Alfa Holdings, controladora do Banco Alfa e da Alfa Financeira, aprovou pagamento de dividendos aos acionistas referentes ao segundo semestre de 2011. O pagamento será de R$ 184,70, por lote de 1 mil ações preferenciais classe A (PNA) e juros sobre o capital próprio (JSCP), a R$ 24 por lote de 1 mil ações PNA. Sobre o JSCP incidirá 15% de IR na fonte.

    ——–

    MERCADO

    Embraer irá recomprar até 1,06 milhão de ações

    O Conselho de Administração da Embraer aprovou a recompra de até 1,06 milhão de ações ordinárias (ON), equivalente a cerca de 0,15% do total de ações em circulação no mercado. O prazo máximo para a realização da operação é até o dia 23 de janeiro de 2013. A fabricante de aeronaves informou que os papéis adquiridos em cada pregão não superará 30% do volume médio diário negociado.

    ———-

    VALE FERTILIZANTES

    Vale conclui compra de papéis de minoritários

    A Vale informou ontem a aprovação do resgate total das 5.314.386 ações remanescentes em circulação, entre ordinárias e preferenciais, representando 0,94% do total da Vale Fertilizantes, dos acionistas minoritários. Desta forma, a Vale passa a deter, por meio de suas controladas, 100% do total das ações (ON e PN) da Vale Fertilizantes.

    Brasil Econômico/AC