Fiocruz promove maratona de soluções tecnológicas em saúde

  • Português
  • English
  • Postado em 21 de março, 2016


    fiocruz.-1

    O Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz) realizará em 2016, pela primeira vez, o Hackathon em Saúde, um evento que reúne programadores, designers e outros profissionais em um esforço concentrado para o desenvolvimento de aplicativos e inovações tecnológicas para o Sistema Único de Saúde (SUS). “A inovação tecnológica em saúde é uma das missões do nosso instituto, e identificamos na proposta do Hackathon um formato apropriado para sua concretização”, avalia Marcel Pedroso, coordenador do Centro de Estudos do Icict/Fiocruz, pesquisador do Laboratório de Informação em Saúde e organizador do evento. A data do evento será anunciada em breve.

    No dia 7 de abril, será realizado o Pré-Hackathon em Saúde, como atividade preparatória para a grande maratona. A programação inclui a divulgação das regras do desafio, modalidades de competição, que serão aplicativos móveis e games, além dos critérios de avaliação e premiações. Também serão revelados os temas prioritários para os desafios da saúde pública que nortearão o desenvolvimento de soluções. Experiências exitosas em outros Hackathons também serão compartilhadas com os participantes, como o aplicativo do Sistema de Informação em Saúde Silvestre – SISS-Geo, apresentado por Paulo Werdt, do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), e o aplicativo vencedor do Hackathon Globo 2015, apresentado por Danielle Cohen, Giovanni Marques, Fábio Antônio e Guilherme Berger.

    Para completar o Pré-Hackathon, serão oferecidas palestras e oficinas sobre aplicativos e inovação tecnológica, em diversas áreas, com a participação de projetos como o MobileTime; a Carteirada do Bem, da Casa Digital; e, a Mobile Application Fabric, da IBM. Métodos e técnicas também serão compartilhados em oficinas, como o uso da programação em Python, a metodologia Scrum para desenvolvimento ágil de softwares, o Design Centrado no Usuário, e o uso de Jogos em Saúde.

    A expectativa dos eventos do Hackathon em Saúde é mobilizar e disseminar questões de saúde pública associadas aos desafios da área tecnológica que vem impactando toda a sociedade nas últimas décadas. “Ao mesmo tempo em que fomentamos a construção de aplicativos de interesse para o SUS, podemos construir uma rede de programadores e aprender sobre áreas em que temos deficiência, por exemplo, desenvolvimento de aplicativos mobile”, avalia Marcel Pedroso.



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter