Estudo da UFRJ mostra que Brasil supera média mundial no uso de energias renováveis

  • Português
  • English
  • Postado em 7 de dezembro, 2015


    acuerdo-provisional-directiva-eficiencia-energetica

    Um estudo apresentado em evento paralelo à 21ª Conferência das Partes (COP 21), realizado na Embaixada do Brasil em Paris, mostrou que fontes renováveis correspondem, hoje, a 78% da geração de energia do país. O dado supera em mais de três vezes a média mundial, com apenas 20,3% de fontes renováveis e mais de 40% provenientes do carvão. Liderado pelo pesquisador Emílio La Rovere, da COPPE/UFRJ, o estudo analisou as implicações das ações brasileiras voltadas para o corte de emissões de carbono. “Com a adoção das políticas adequadas, a INDC (meta nacional) do Brasil pode contribuir para o crescimento econômico sustentável, o desenvolvimento social e a redução de emissões’, afirmou La Rovere.

    Gestores públicos e pesquisadores apontaram a renovação da matriz energética como uma das principais medidas para sucesso do país na contenção do aquecimento global, e essencial para atingir a meta de corte de emissões apresentada às Nações Unidas, de 43% até 2030. “O Brasil já faz a diferença e pode fazer mais a partir de uma perspectiva de inovação tecnológica”, declarou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. “É preciso um debate sobre essa questão na agenda climática.”

    O debate faz parte dos Diálogos do Brasil na COP21 – Rumo à Implementação da INDC Brasileira, realizado até dia 9 de dezembro na Embaixada do Brasil em Paris.