Estudo aponta 14 novas linhas hidroviárias viáveis na Região Metropolitana do Rio

  • Português
  • English
  • Postado em 25 de agosto, 2015


    rio

    Um estudo divulgado pelo Sistema Firjan essa terça-feira (25/08) apontou 14 novas ligações hidroviárias viáveis na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. As linhas – nos eixos da Baía de Guanabara e da Barra da Tijuca – têm potencial para absorver 272,4 mil viagens de passageiros por dia e para retirar 100,9 mil veículos das ruas. Isso representa redução potencial de 84,1 km na extensão diária dos congestionamentos e diminuição de R$ 11,2 bilhões no custo anual causado pelo tempo perdido no trânsito, em especial durante a distribuição de cargas e pela perda de produtividade dos trabalhadores.

    No eixo Baía de Guanabara, que hoje conta com apenas quatro linhas, o estudo propõe 11 novas ligações. Estas linhas podem proporcionar mais de 156 mil viagens de passageiros por dia, o equivalente a 57,8 mil veículos. Entre as linhas propostas, cinco conectam o Rio de Janeiro ao Leste Fluminense, uma a Duque de Caxias, quatro às ilhas do Governador e do Fundão, e uma de Charitas a Itaipu, em Niterói.

    No eixo Barra da Tijuca, o estudo sugere a ligação da Barra da Tijuca para a Praça XV e no Complexo Lagunar. No trajeto entre a Barra da Tijuca para a Praça XV, o transporte pode absorver até 106,4 mil viagens de passageiros por dia, que equivalem a mais de 39 mil veículos fora das ruas. Neste caso, a proposta é de embarcações próprias para navegação em mar aberto e ressalta que uma estação próxima ao Terminal Alvorada permite a criação de um polo multimodal de passageiros devido à conexão com as estações do Bus Rapid Transit (BRT) e do metrô. O projeto possibilita a plena integração da Barra da Tijuca com todo o município, o Leste Fluminense e Duque de Caxias, através de modos de transporte de alta capacidade.