Dinheiro na Semana

  • Português
  • English
  • Postado em 20 de janeiro, 2012


    por Hugo Cilo

    Davos

    Festa irrelevante e cara

    Foi-se o tempo em que os líderes mundiais decidiam os rumos da economia nos Alpes suíços. Este ano, a presidenta Dilma Rousseff e o presidente do BC, Alexandre Tombini, nem irão ao Fórum Econômico Mundial, que acontece nesta semana. No mundo em crise, o Brasil não precisa de muito esforço para atrair os dólares que fogem da Europa. Mesmo assim, o País irá pagar a conta de US$ 5 milhões da festa de encerramento de Davos. Pode?

    Vistos Obama quer mais brasileiros Em discurso na Disneylândia, em Orlando, o presidente americano, Barack Obama, disse, na quinta-feira 19, que o tempo de emissão de vistos para turistas do Brasil e da China será reduzido em 40%, além de apresentar medidas para facilitar a vida do turista que pretende visitar os EUA.

    Gastos militares Quando a crise promove a paz Os gastos militares irão cair em 2012 em decorrência da crise econômica, segundo previsão do instituto sueco Sipri, dedicado a estudos sobre segurança internacional. Entre as 12 nações que mais investirão em armamentos, apenas Brasil e China deverão aumentar suas despesas armamentistas.

    Montadoras O plano brasileiro de Ghosn Quinta maior marca no mercado brasileiro, e próxima de superar a americana Ford em vendas no País, a francesa Renault divulgou na terça-feira 17 que o Brasil superou a Alemanha e se tornou, em 2011, o principal mercado da empresa no mundo fora da França. A marca, comandada pelo brasileiro Carlos Ghosn, que havia estabelecido como meta fazer do Brasil o segundo maior mercado até 2014, vendeu pouco mais de 194 mil automóveis, um aumento de 21% em comparação ao ano anterior. Os principais modelos que contribuíram para esse feito foram os romenos Logan, Sandero e Duster, que compartilham a mesma plataforma e são vendidos na Europa pela marca Dacia. Em todo o mundo, a Renault vendeu quase 2,7 milhões de veículos, com uma alta de 3,6% em 2011.

    Varejo O sufoco do Carrefour A rede de supermercados Carrefour, maior varejista da Europa e a vice-líder no Brasil e no mundo, colocará o pé no freio dos investimentos globais neste ano ao constatar que o lucro de 2011 está abaixo das previsões mais pessimistas. Os números ainda não foram divulgados, mas reportagem da agência Reuters revelou, na quinta-feira 19, clima de tensão na cúpula da companhia em decorrência dos baixos resultados e da pressão sobre o presidente-executivo, Lars Olofsson, em situação de risco após seis alertas de lucro abaixo do esperado.

    Números

    US$ 500 bilhões – é quanto o Fundo Monetário Internacional (FMI) pretende levantar em recursos adicionais para empréstimos. A cifra é baseada em sua estimativa de que nos próximos quatro anos a demanda global de financiamento chegará a US$ 1 bilhão.

    US$ 310 milhões – Foram as importações brasileiras nos primeiros 20 dias do ano, segundo o “Importômetro” (foto acima), painel inspirado no “Impostômetro”, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que mede a carga tributária. O mecanismo foi lançado, como um protesto, pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit ).

    R$ 17 bilhões – foi quanto o professor indiano Parijat Saha, que ganha o equivalente a R$ 1,2 mil por mês, encontrou em sua conta bancária na quinta-feira 19. A alegria durou pouco. Logo o banco retomou o dinheiro. 10,50% – é a taxa básica de juros da economia, a Selic, após o Banco Central decidir por um corte, na quarta-feira 17, de 0,5 ponto percentual.

    Marcas

    Qual o segredo da Coca-Cola? A Coca-Cola se manteve em 2011 no topo da lista das marcas mais valiosas, segundo o relatório “Melhores Marcas Globais”, da Interbrand. O valor da companhia de bebidas ficou em US$ 71,8 bilhões. SOmado, o valor das 100 marcas é US$ 1,26 trilhão. Veja quais são as dez marcas mais valiosas do planeta.

    Curtas

    A OGX, do bilionário Eike Batista, anunciou na quarta-feira 18 que descobriu petróleo na costa de Paraty (RJ). A jazida, próxima à costa, possui reservas estimadas em 2 bilhões de barris de óleo leve e um grande volume de gás natural.

    A Azul Linhas Aéreas lançou nesta semana a ponte aérea mais curta do País, entre São Paulo (Aeroporto de Congonhas) e Campinas (Aeroporto de Viracopos). A passagem custa R$ 29,90 e demora apenas 15 minutos.

    A Aegon, empresa holandesa de seguros que patrocina o time do Ajax, está interessada em adquirir o direito de dar seu nome à nova arena do Palmeiras. A companhia está disposta a pagar R$ 380 milhões por um contrato de 20 anos.

    Supermercados

    E o plástico foi para o saco…

    Uma antiga reivindicação de ambientalistas e redes de supermercados finalmente será aceita na capital paulista, o maior mercado consumidor do País. A partir do dia 25 de janeiro, aniversário da cidade, cada cliente precisará levar de casa sua própria sacola para transporte das compras ou terá de pagar pelos saquinhos. Segundo os sindicatos da indústria do plástico, a decisão resultará na demissão de seis mil pessoas. Com o fim da distribuição gratuita de cerca de 2,4 bilhões de sacolas plásticas mensais, os supermercados economizarão R$ 72 milhões. Será que essa economia será repassada ao consumidor?

    Entrevista

    “O Brasil entrou para a rota mundial do luxo” O canadense Filip Boyen, CEO da Orient Express Hotels, comanda um dos mais importantes grupos hoteleiros de luxo no mundo. Nos últimos anos ele cultivou um carinho pelo Brasil. Por uma simples razão: enquanto o mundo desenvolvido aperta o cinto com a crise, o setor de luxo do País está em expansão.

    Qual a sua visão sobre o mercado de luxo no País? Os brasileiros sabem muito bem o que são bons serviços. São versáteis e bons entendedores de negócios, de moda, de decoração, de gastronomia, além de serem amantes das compras. Então, na minha opinião, por essas características dos brasileiros, o País entrou para a rota do luxo.

    Quais são os investimentos? Temos vários projetos em todo o mundo. Há planos de melhorias no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, de que somos proprietários. Nosso Hotel das Cataratas, em Foz do Iguaçu, foi renovado no ano passado.

    Como levar brasileiros para outras partes do mundo? Criando produtos, experiências e razões sedutoras para os turistas se deslocarem por longas distâncias. Os sonhos movem os seres humanos. Em um mundo cada vez mais competitivo e estressante, nossa missão é criar momentos inesquecíveis.

    Revista IstoÉ Dinheiro/AC