Dinheiro e Tecnologia

  • Português
  • English
  • Postado em 20 de janeiro, 2012


    Imagem conectada por Clayton Melo

    Os americanos ainda passam muito tempo assistindo à televisão. Mas a parcela destinada à internet, especialmente para ver vídeos, vem crescendo a passos largos. Também é possível constatar que a audiência desse tipo de conteúdo digital cresce entre os usuários da América Latina. Confira mais detalhes no infográfico.

    Líder de audiência no Brasil Depois do Ibope, agora outro instituto de pesquisa registra o Facebook como a maior rede social do Brasil em audiência. Segundo pesquisa divulgada na semana passada pela consultoria americana comScore, o número de visitantes únicos do Facebook cresceu 192% em 2011, alcançando 36 milhões de internautas no País. Ao mesmo tempo, o Orkut viu sua audiência crescer apenas 5%, para cerca de 34 milhões de visitantes. O tempo de navegação no Facebook também aumentou, de 37 minutos em 2010 para 4,8 horas em 2011.

    Em setembro, a DINHEIRO antecipou em reportagem de capa que o site de Mark Zuckerberg já havia ultrapassado o Orkut no País, com base na pesquisa realizada pelo Ibope, obtida em primeira mão pela revista. Caça-talentos A Microsoft vai incentivar a criação de startups no Brasil. A companhia assinou um protocolo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para a criação de seis aceleradoras de empresas iniciantes, principalmente nas áreas de jogos, educação, energia, óleo e gás, telecomunicações e saúde. O anúncio aconteceu durante a inauguração de um centro tecnológico em São Paulo, o segundo da companhia na América Latina, que consumiu investimentos de R$ 10 milhões. Prateleira O notebook XPS13, da Dell, pesa apenas 1,3 Kg e sua espessura não passa de 18 milímetros. Estará à venda a partir de fevereiro, mas somente nos Estados Unidos, por US$ 999.

    A previsão é de chegar a outros países em março. Duopólio O mercado de smartphones está dominado por dois sistemas operacionais: o Android, desenvolvido pelo Google, e o iOS, da Apple. Conforme dados da consultoria americana Nielsen, em termos gerais, os dois sistemas detêm 76% do mercado. Mas, considerando apenas as vendas nos últimos três meses, o porcentual sobe para mais de 87%. Enquanto isso, o BlackBerry ficou com apenas 6% do mercado e o Windows Phone 7 não passa de 1,4% de participação. Resposta instantânea Cidades como Nova York, Buenos Aires e Recife criaram centros de tecnologia para revitalizar áreas degradadas. Por que as empresas de tecnologia são escolhidas para esse tipo de ação? Tem a ver com o tipo de profissional e a natureza do trabalho. O mercado de tecnologia envolve muita criatividade, e isso demanda informalidade no ambiente de trabalho.

    Enquanto um programador e designer enxergam um prédio antigo como um ambiente que pode ser transformado em algo confortável, outros profissionais só conseguem ver a destruição.

    Francisco Saboya, presidente do Porto Digital, defende a participação das empresas de tecnologiana revitalização de áreas degradadas, como a Cracolândia

    Há espaço para outras iniciativas como a do Recife? Há possibilidade, desde que haja continuidade. O problema é que na administração pública, quando muda a gestão, muda toda a política. E isso não é sustentável. Desenvolver um centro tecnológico seria uma solução para a Cracolândia, em São Paulo? Não conheço detalhes do que está acontecendo na Cracolândia, mas está claro que apenas retirar os usuários de drogas, numa espécie de “assepsia social”, não resolve. Antes, é preciso criar condições para que as empresas de tecnolo gia ocupem a região.

    Revista IstoÉ Dinheiro/AC