Comprimido combate a dengue desenvolvido no Rio está pronto para entrar no mercado

  • Português
  • English
  • Postado em 23 de julho, 2015


    Um composto desenvolvido por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para combater o mosquito da dengue está pronto para ser colocado no mercado pela empresa de biotecnologia BR3. A drágea contém um microorganismo chamado Bacillus thuringiensis israelensis (Bti) que, quando colocado em um recipiente com água, inviabiliza o criadouro do mosquito por um período de 60 dias. O modelo tecnológico que permitiu a criação do comprimido foi desenvolvido pela pesquisadora Elisabeth Sanchez, da Fiocruz.

    “O comprimido se dissolve e libera microorganismos que intoxicam a larva do mosquito da dengue”, explicou Rodrigo Perez, diretor da BR3. A substância, segundo ele, poderia até ser usada em água potável, mas isso ainda depende de aprovação da Anvisa. “O microorganismo é inofensivo ao homem e não deixa o mosquito mais resistente. Com inseticidas, os mosquitos ficam mais resistentes. Por conta disso e pela segurança que esse produto oferece, o comprimido poderá ser vendido em supermercados”, disse Perez.

    A expectativa é que, em até um ano, o produto esteja disponível no mercado. Mas, antes disso, já estará disponível para prefeituras ou governos.