Campanha no ritmo do soul

  • Português
  • English
  • Postado em 20 de janeiro, 2012


    » Renata Tranches

    Em uma noite como mestre de cerimônias, o presidente Barack Obama deu uma demonstração de seus dotes artísticos. Durante um evento para a arrecadação de dinheiro para campanha, realizado no Teatro Apollo, no Harlem, o líder norte-americano soltou a voz e cantou um trecho da música Let”s stay together, de Al Green. O compositor, que estava na plateia, assistiu ao mandatário entoando os famosos versos: I”m so in love with you (Estou tão apaixonado por você). Mas parou por aí. “Não se preocupe”, disse o presidente, olhando para Green, “eu não posso cantar como você. Eu só queria mostrar o meu apreço”.

    As brincadeiras de Obama também chegaram ao cineasta Spike Lee. “No meu primeiro encontro com (a primeira-dama) Michelle, eu a levei para ver Faça a coisa certa”, contou o democrata, em referência a um dos filmes de Lee. Essa não é a primeira vez que Obama busca apoio de artistas. Na campanha de 2008, ele teve o suporte de músicos populares, como as cantoras Beyoncé e Alicia Keys.

    Enquanto o clima era de descontração no Harlem, emissoras de TV veiculavam o primeiro anúncio da campanha eleitoral do presidente. Só que, na televisão, o assunto era bem mais sério: as ações de Obama para a geração de energia limpa e para a diminuição da dependência de importação de petróleo. “Pela primeira vez em 13 anos, nossa dependência do petróleo estrangeiro está abaixo dos 50%”, diz o narrador. O texto também ressalta a criação de 2,7 milhões de postos de trabalho em usinas não poluentes. Ambos os assuntos são alvo de constantes críticas dos republicanos, que acusam Obama de boicotar investimentos necessários para o desenvolvimento dos EUA.

    Críticas

    Para a oposição, a propaganda mostra que o democrata está na defensiva. “Em vez de falar de empregos e economia, Obama defendeu sua atuação ética e em energia? Bom, pelo jeito, está claro que a equipe Obama está na defensiva”, avaliou Kirstin Kukowski, porta-voz do Comitê Nacional Republicano, segundo a agência Reuters.

    A batalha sobre o tema esquentou durante a semana. Na quarta-feira, o presidente rejeitou o pedido para a construção de um oleoduto que ligaria poços no Canadá a refinarias no estado do Texas. Obama criticou o prazo dado pelos republicanos, no Congresso, para que ele se decidisse sobre o assunto: 21 de fevereiro. “Este anúncio não é um juízo sobre o mérito do gasoduto, mas sobre a natureza arbitrária de um prazo que impede o Departamento de Estado de recolher as informações necessárias para aprovar o projeto e proteger o povo americano”, justificou ele. O anúncio televisivo está em exibição nos estados de Iowa, Michigan, Carolina do Norte, Ohio, Virgínia e Wisconsin, considerados estratégicos para a eleição.

    Correio Braziliense/AC



    Rio Negócios Newsletter

    Cadastre-se e receba mensalmente as principais novidades em seu email

    Quero receber o Newsletter