Calote ameaça estádio

  • Português
  • English
  • Postado em 27 de janeiro, 2012


    Principal palco do futebol no estado desde que o Mineirão e o Independência fecharam para reforma, a Arena do Jacaré vai a leilão a fim de saldar débito com empresa de ferragens

    » Renato Alves

    Casa dos mineiros Cruzeiro, Atlético e América na Série A de 2011 e no campeonato estadual que começa neste fim de semana, a Arena do Jacaré vai a leilão daqui a 10 dias. O motivo é uma dívida de R$ 73 mil do Democrata com uma empresa de ferragens. O time de Sete Lagoas não pagou à firma pelo material usado na construção do estádio, em 2005. O clube do interior tem como mascote o réptil que dá nome ao campo de futebol, com capacidade para 20 mil espectadores.

    Com o fechamento do Mineirão e do Independência, que ficam em Belo Horizonte, em obras para a Copa do Mundo de 2014, a Arena do Jacaré, a aproximadamente 70km da capital mineira, tornou-se o principal palco de jogos no estado. Desde 2010, por lá têm se apresentado os times mineiros, grandes nomes do futebol nacional e equipes do exterior, como os adversários do Cruzeiro na Libertadores 2011. Com o estádio, Sete Lagoas ainda é candidata a subsede do Mundial da Fifa.

    Mas o que poderia ser um orgulho para os 200 mil sete-lagoanos virou um pesadelo, devido às péssimas administrações do Democrata. A atual diretoria só pôs o time no Campeonato Mineiro da terceira divisão em 2010 e em 2011 porque o Atlético emprestou seus juniores, comissão técnica e continuou pagando os seus salários. Mas o Jacaré não conseguiu subir e, sem a parceria com o Galo em 2012, corre o risco de extinguir o departamento de futebol profissional.

    Além dos cerca de R$ 3 milhões gastos pelo Democrata na construção do estádio, sete anos atrás, o governo de Minas Gerais desembolsou mais R$ 16 milhões na reforma feita para os times mineiros terem onde jogar nos últimos dois anos – investimento feito após a assinatura, em 2010, de contrato de comodato para o governo estadual administrar a Arena do Jacaré por 10 anos por meio da Administração dos Estádios de Minas Gerais (Ademg).

    Nas negociações para a cessão da Arena, o governo mineiro até ameaçou desapropriar o imóvel, caso o Democrata continuasse exigindo muito. Destinou ao Jacaré a renda de 70% do estacionamento, com 600 vagas. A arrecadação, porém, acabou penhorada pela Justiça do trabalho. Com isso, a agremiação de Sete Lagoas, que tem apenas 90 associados em dia, ficou praticamente sem fonte de recursos.

    Obra atrasada

    Os torcedores de Belo Horizonte vão precisar esperar um pouco mais para assistirem a América, Atlético e Cruzeiro na capital mineira. Na última quarta-feira, a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) confirmou que problemas com as chuvas no fim do ano passado atrasaram a reforma do Independência, o que adiou a reinauguração para meados de março. A conclusão da obra já havia sido prometida para julho de 2010 e, depois, para fevereiro de 2012. Orçada inicialmente em R$ 25 milhões, a empreitada beira os R$ 160 milhões.

    Torcedores no comando

    Única equipe profissional de Sete Lagoas (MG), o alvirrubro Democrata tem como maior conquista o vice-campeonato mineiro de 1963, perdido para o Atlético. Fundado em 14 de julho de 1914, o time do interior teve muito perto do fim há quatro anos. Na tentativa de mantê-lo vivo, um grupo de torcedores, das mais diversas profissões e sem ligação com o futebol profissional, uniu-se e fundou, em outubro de 2007, a Associação Amigos do Democrata. Esse grupo comanda o clube atualmente, mas não consegue quitar as dívidas por falta de renda.

    Saiba mais Celeiro de jogadores

    Entre as maiores revelações do Democrata estão Gomes, ex-goleiro do Cruzeiro e hoje no Tottenham, da Inglaterra, e o ex-zagueiro João Carlos, que vestiu as camisas do Cruzeiro e do Corinthians. Atualmente preso por suspeita no desaparecimento de Eliza Samudio, o goleiro Bruno (Atlético-MG e Flamengo) passou pelas categorias de base do Jacaré.

    >> R$ 73.854,32, Valor da dívida do Democata com a empresa Ferrão Ltda, motivo do leilão do estádio

    >>R$ 10milhões , lance mínimo pela área de 32 mil metros quadrados que abriga a Arena do Jacaré

    >>R$ 4milhões, valor aproximado das dívidas do clube de Sete Lagoas

    Correio Braziliense/AC